Marcação: Produção de camarão da etnia Potiguara recebe apoio da Funai na Paraíba

Web Radio Marcação ((FM))




Marcação: Produção de camarão da etnia Potiguara recebe apoio da Funai na Paraíba


A Fundação Nacional do Índio (Funai), por meio da Coordenação Regional de João Pessoa (PB), tem apoiado a produção de camarão – carcinicultura – da etnia Potiguara no litoral da Paraíba. A atividade produtiva beneficia aproximadamente 350 famílias indígenas de forma direta, e outras 150 famílias indiretamente. A estimativa é de que a produção atinja 250 toneladas de camarão em 2021, o que equivale a mais de 18% da produção total de camarão do estado.

Conforme relata o coordenador regional da unidade descentralizada da fundação na capital paraibana, Clotário de Paiva Gadelha, a produção ocorre durante todo ano em uma área de 120 hectares, onde cerca de 100 tanques de carcinicultura geram um faturamento anual de cerca de R$ 1,5 milhão. Cada família indígena recebe uma renda entre R$ 1.000 e R$ 1.500. A produção das Terras Indígenas Potiguara, Jacaré de São Domingos e Monte-mor é vendida para a capital, João Pessoa, e cidades vizinhas como Rio Tinto, Baía da Traição, Marcação, Mamanguape, Matarca e Itapororoca.

A Funai realizou o estudo ambiental da área da Terra Indígena em que os tanques foram instalados e articulou sua regularização ambiental junto ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Este estudo foi feito com recursos próprios da fundação, e contou com o apoio do Ministério Público Federal na Paraíba (MPF/PB).

Na avaliação do coordenador regional da Funai, a carcinicultura é de fundamental importância para a etnia Potiguara, assim como as atividades produtivas que geram renda e dão dignidade para as famílias indígenas. “O fomento à produção de camarão certamente acarretará a melhoria da qualidade de vida de todas as famílias envolvidas. A nossa fundação apoia a produção de camarão e acredita que projetos como este são a mola propulsora para o desenvolvimento das comunidades indígenas”, enfatiza Gadelha.

Etnodesenvolvimento

Nos últimos dois anos, a Funai já investiu aproximadamente R$ 30 milhões em projetos voltados à geração de renda nas aldeias, de forma responsável. Os recursos foram destinados para diversas ações que visam a autossuficiência dessas comunidades, como a aquisição de materiais de pesca, sementes, mudas, insumos, ferramentas, maquinário agrícola, apoio para o escoamento da produção e realização de cursos de capacitação para os indígenas.

Recentemente, a Funai adquiriu 30 tratores para fornecer apoio às atividades produtivas em diversas aldeias no país. A intenção é garantir a segurança alimentar das diferentes etnias e possibilitar que elas ampliem a produção, investindo em processos de geração de renda. Ao todo, a Funai investiu de mais de R$ 4,6 milhões na aquisição do maquinário.

Assessoria de Comunicação / Funai
com informações da Coordenação Regional João Pessoa

Postagem Anterior Próxima Postagem