((Rádio)) Marcação FM - Ao Vivo

Últimas Notícias - whatsap (083) 9 9123-4417

Empossado há dois dias, prefeito de Gurinhém pode ser cassado por suspeita de compra de votos

Empossado há dois dias, prefeito
de Gurinhém pode ser cassado por suspeita de compra de votos

Ação de Investigação Judicial Eleitoral foi impetrada pelo ex-gestor Tarcísio Saulo de Paiva, que acusa o atual prefeito de abuso de poder econômico
Empossado há dois dias, o prefeito do município de Gurinhém, Cláudio Freire Madruga, pode ter o mandato cassado pela Justiça Eleitoral e deixar a chefia do Poder Executivo antes mesmo de chegar o carnaval. O novo gestor está sendo acusado de comandar um esquema de compra de votos envolvendo o Sindicato dos Trabalhadores Rurais do município.
Uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) foi impetrada pelo ex-gestor Tarcísio Saulo de Paiva, que acusa o atual prefeito de abuso de poder econômico e captação ilícita de sufrágio e pede a cassação e a inelegibilidade de Cláudio de Madruga por 8 anos. Madruga venceu as eleições por uma diferença de apenas 19 votos.
De acordo com a ação impetrada na Justiça Eleitoral, o crime teria ocorrido por meio de pagamento de mensalidades atrasadas de filiados ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Gurinhém. Constam nos autos do processo que os pagamentos ultrapassaram a quantia de mil reais e quitaram os débitos dos sindicalizados em troca de votos.
“Todos os indícios apontam para uma fraude enorme no referido sindicato, havendo provável conluio entre a chapa eleita, os candidatos a vereador Acácio e Romero e o presidente do sindicato, com o intuito de fraudar a liberdade do voto, por meio de favorecimento financeiro dos filiados e do próprio sindicato”, diz a peça jurídica.
Em uma das provas apresentadas pela parte acusadora há uma áudio onde um dos favorecidos confessa o recebimento da quitação do débito com o sindicato em troca de votar no então candidato Cláudio Madruga.
Veja a transcrição do áudio na íntegra: 
Advogado: Certo. Na sua casa alguém paga sindicato?
Sr. Elenilson: Paga. A minha esposa.
Advogado: Ela tava devendo, tava em dia, como é que tava a situação do sindicato dela?
Sr. Elenilson: Tava em R$ 1.712,00.
Advogado: E como foi que ela conseguiu colocar em dia esse sindicato?
Sr. Elenilson: Que eles chegaram lá oferecendo que votasse no prefeito, que era pra votar em Cláudio Madruga, mas só que a gente pra deixar em dia era R$ 1.712,00.
Advogado: No caso aí chegaram na sua casa oferecendo pra vocês votar no prefeito que botava em dia seu sindicato.
Sr. Elenilson: E botou em dia.
Advogado: Botou em dia?
Sr. Elenilson: Botou.
Fonte: Blogger do Gordinho

Nenhum comentário